Sunday, December 30, 2018

10 Places: Sedona, AZ


Desde que me deparei com as primeiras fotos de Sedona me apaixonei! Ainda bem que eu insisti para fazermos essa viagem, porque ela foi tão incrível que já estamos com vontade de voltar. É um lugar mágico, com uma energia muito maravilhosa! Voamos para Phoenix e de lá dirigimos cerca de 2 horas (a estrada era perfeita!) até Sedona. Logo que você se aproxima da cidade já avista as formações de Red Rocks que são características da cidade e que servem de pano de fundo para todas as aventuras! Antes que me perguntem: a melhor época para se visitar Sedona é o outono, pois as temperaturas são mais amenas e não é tão cheio. Vamos ao top 10?!?
  1. Butters Pancakes & Coffee: antes de pegarmos a estrada para Sedona, estávamos com fome e fomos até esse restaurante que fica em Scottsdale e ficava no caminho para o nosso destino final. Esse lugar é especializado em café da manhã e vou arriscar dizer que foi uma das melhores panquecas que já comi: a massa era mega levada e mesmo depois de comer um pratão de ovo mexido, bacon e hash browns, eu ainda mandei as duas panquecas! 
  2. Red Rock Scenic Byway (State Route 179): quando nos aproximamos de Sedona, tomei o cuidado de ignorar o Waze e pegar a State Route 179, ela é um pouco mais demorada, mas é uma estradinha linda com uma vista inigualável e que é um presente para a sua chegada na cidade! 
  3. Enchantment Resort: ficamos nesse hotel maravilhoso que fica dentro do Boynton Canyon e está rodeado por Red Rocks. O hotel tem chalés que se espalham por um espaço mega bem cuidado. Ele conta com 2 restaurantes muito bons: o Che Ah Chi, que é mais chic e faz uma releitura da culinária local, e o Tii Gavo, que é um restaurante mexicano. Além disso eles têm um outro Hotel/Spa de primeira linha anexo ao hotel que se chama Mi Amo (os hóspedes do Enchantment tem acesso a todos os serviços e dependências do Mi Amo). Por sinal amamos o restaurante do Mi Amo para o café da manhã e almoço! Para completar o hotel tem também quadras de tênis, uma extensa lista de atividades diárias (vou voltar nesse assunto logo mais), e também um campo de golf anexo que se chama Seven Canyons
  4. Trails e Hiking: não sou uma pessoa muito da natureza, adoro um ambiente urbano, mas amei o desafio de fazer hikings diários pois essa é a melhor forma de se conhecer Sedona e apreciar a beleza natural da cidade, que é rodeada por milhas e mais milhas de trilhas incríveis. Fizemos muitas trilhas quando estávamos lá e amamos! O hotel oferece passeios guisados diários para as trilhas e foi maravilhoso pois todos os guias são hiper preparados (todos eram formados em geologia) e foram essências para conseguirmos entender a paisagem e a energia do local! As trilhas que mais amamos foi a Mescal e a Teacup! Mas confesso que são tantas as opções que você leva uma vida para explorar tudo o que Sedona oferece. 
  5. Vortex: Se tem uma palavra que você vai ouvir muito em Sedona é essa!  Basicamente a cidade conta com esses locais que tem uma energia muito forte e que são pontos de peregrinação aonde as pessoas vão para sentir a mágica. Você vai ver pessoas meditando, fazendo yoga, rezando e etc nesses locais. Cada um sente de uma maneira, eu senti uma paz imensa e acredito que apesar da cidade ter oficialmente 4 vortexes catalogados, existem muitos outros pontos nas trilhas (aonde você vai avistar árvores de troncos retorcidos que são típicas em pontos de vortex) aonde você vai sentir a energia. 
  6. Stargazing Tour: a cidade tem o título oficial de “Dark Sky”, que é dado a cidades que minimizam a iluminação noturna para não afetar o meio-ambiente e preservar o céu noturno. Ou seja: você consegue avistar um número absurdo de estrelas, principalmente se estiver lá em noites de lua nova (pois o céu vai estar ainda mais escuro). Fizemos um tour muito legal com astrônomos locais para avistar as estrelas. Foi o máximo, além de aprendermos muito sobre as estrelas, eles tinham um telescópio para podermos ver o céu em ainda mais detalhe. Ahhhhh, foi a primeira vez que consegui avistar a Via Láctea no meio do céu! Foi lindo! Importante: como fomos no final do outono, estava um mega frio (ao redor de zero durante a noite) e esse é um passeio que você fica 2 horas ao relento! Então não esqueça de se vestir adequadamente para a época que estiver visitando e pode ser mega frio. 
  7. Dinner: vocês sabem que amo um bom restaurante e Sedona não deixou a desejar! Visitamos o Cress on Oak Creek, que fica dentro do hotel L’Auberge, e foi um jantar hiper especial! Além disso, uma recomendação que tivemos muito boa foi o Elote Cafe, que é um restaurante mexicano hiper premiado (ele não aceita reservas, e a fila costuma ser de 1 hora, mas vale a espera). Outra recomendação que tivemos foi o Mariposa, que é um restaurante que tem uma vista especial da cidade: o ideal é visita-lo ao redor do final da tarde pois o por do sol é lindo (vá pela vista, a comida não é brilhante, mas é gostosa). 
  8. Locais especiais: existem dois locais religiosos em Sedona que são únicos e hiper especiais, a Chapel of The Holy Cross (que é uma capela construída no meio das Red Rocks e tem uma arquitetura super interessante) e o Amitabha Stuba and Peace Park (que é um templo budista que também fica num local especial de Sedona e que é um local de extrema paz). Aliás próximo ao tempo budista tinha também uma Medicine Wheel e amei conhecer: elas são círculos cerimoniais de pedras utilizados pelos nativos americanos para curar e meditar. 
  9. Jerome: essa cidade fica a 30 minutos de Sedona, no alto de uma montanha, literalmente pendurada ali quase que flutuando. A cidade é hiper charmosa e pode ser um bom passeio. Fomos almoçar lá num dos dias e comemos no Haunted Hamburger, que é um restaurante famoso na cidade, que fica num prédio que dizem ser mal assombrado. Independente dos fantasmas, o burger é maravilhoso! Valeu a viagem até lá!
  10. Grand Canyon: para fechar com chave de ouro visitamos o Grand Canyon que fica a 2 horas de Sedona. As estradas até lá são muito boas também, o que faz a viagem ser ainda mais agradável. Foi muito muito especial e recomendo demais! A primeira dica é comprar o passe para entrar no parque com antecedência no próprio site deles, pois ajuda a economizar um pouco de tempo na entrada do parque. Lembre-se que esse é um dos Patrimônios da Humanidade da UNESCO, e o parque é um dos mais populares dos Estados Unidos, então o ideal é evitar feriados e finais de semana pois ele vai estar bastante lotado. Assim como em outros locais da região, o verão é escaldante, então visitá-la na meia estação é o ideal. Pesquise antes de visitar o parque pois existem muitas formas de se apreciar a vista, desde de a Rim Trail (que fica na beira do precipício e é asfaltada e é super plana e amigável para crianças, idosos e cadeirantes) até a Bright Angel Trail (que é uma trilha difícil, que desce pelo precipício, abraçando o Canyon e que na minha opinião não é adequada para crianças pequenas). Além disso existem Vista Points que tem mirantes em pontos diferentes do parque, alguns são acessíveis apenas via o serviço de shuttles (que são de graça dentro do parque) e outros são acessíveis aos carros de passeio. Dependendo do passeio que optar, vá preparado, principalmente se for enfrentar o desafio da Bright Angel: leve água, lanchinhos e etc. O parque tem um site hiper completo que conta com uma descrição detalhada das trilhas e possibilidades, então mergulhe no site antes de visitar o Grand Canyon. Depois que fizemos um pedaço da Bright Angel Trail, decidimos conhecer o El Tovar, que é o único hotel que fica literalmente na beira do Canyon. O hotel tem mais de 100 anos e tem uma arquitetura super interessante, almoçamos lá e foi uma experiência legal. 

No comments: